21 de setembro de 2017

Tudo o que era sólido...

Havia aqui ao lado um pequeno prédio de três andares, talvez com umas quatro ou cinco décadas de existência.  Como tantos outros, não resistiu ao processo de verticalização do centro de São Paulo: foi posto abaixo, e, no momento em que escrevo, um "tranquilo" sábado (6/8/2016), vejo da janela as escavadeiras e (desespero!) o equipamento de "bate estacas" (correção 15/8: ainda não era o bate-estacas, mas sim uma espécie de furadeira gigantesca!) trazido ontem, e que deve entrar em funcionamento nos próximos dias.  Na posição de observador passivo e apreensivo, resolvi transformar parte da experiência de "emparedamento" (perderemos um bom tanto de sol matutino), perda de tranquilidade e sono (vários meses de barulho já sofridos, com muitos ainda adiante - e trabalham inclusive aos sábados, a partir das 7:00h!), móveis empoeirados, e outros desgostos, em uma pequena diversão: fotografei parte da destruição, a preparação do terreno, e pretendo registrar também o nascimento do novo cogumelo de concreto.  Abaixo uma seleção das curiosas cores, formas e sombras que vejo do meu apartamento.

Continuarei a alimentar esta página com as fotos mais interessantes, sempre em ordem temporal inversa, ou seja, as mais recentes no topo.



04/11/2016 08:14

01/11/2016 08:57

25/10/2016 08:37

25/10/2016 08:36

24/10/2016 23:20

13/10/2016 08:30

13/10/2016 08:28

13/10/2016 08:28

06/10/2016 08:14

24/9/2016 10:32 (infravermelho)

22/9/2016 08:14

20/9/2016 08:55

20/9/2016 08:36

16/9/2016 08:49